Manda nudes: o que vem da nudez?

Quando a gente ouve “manda nudes”, o que logo nos vêm à cabeça é uma conotação erótica das relações virtuais da atualidade. Embora o termo seja usado, comumente, para brincadeiras entre amigos – “não me mande convites de joguinhos, manda nudes” – a ideia sugere uma relação virtualmente concebida por imagens eróticas, ou apenas sugestivas.

Pegando este gancho, comecei a reavaliar a tecnologia como uma ferramenta de facilidade  de desconstrução de padrões de beleza. Logicamente, sem entrar no mérito dos riscos de se veicular imagens privadas pela internet. Contando com esta avaliação, iniciei um projeto fotográfico de desconstrução do erotismo. Meu objetivo inicial não era questionar a imagem erótica, porém, ao longo do processo, reconheci que é um caminho inevitável.

Meu projeto – ainda em fase de desenvolvimento – apreende recortes do corpo humano em estado bruto, ou seja, nu. Fotografei diversas pessoas, independente de gênero, orientação, cor ou padrão corporal – voluntariamente. Durante esses meses em que pude fotografar as pessoas, de maneira neutra e livre de composições ou poses, tive a oportunidade de encarar a nudez livre do erotismo ou do apelo sexual. A cada sessão, eu fui melhorando meu olhar a respeito dos critérios que temos para julgar o corpo como objeto de desejo instintivo.

As pessoas são: corpo. Forma, formato, curva, ângulo, conjunto, assimetria, tamanho, preenchimento.

Sob o meu olhar eu vi: a tensão, o receio, o incômodo, a curiosidade, o medo, o complexo, a insegurança, o apego, o desconhecimento, a coragem, o desejo, o ego, o pudor, a vergonha, a censura. Sob o meu olhar, eles se viram. E viram: a singularidade, as marcas, as cicatrizes, as estrias, as pintas, as rugas, os pêlos, a beleza, a feiúra, as complexidades, o inteiro, o mínimo, o rótulo, a medida, a proporção, o detalhe. Viram a si próprios e se conheceram, muito prazer. Esse sou eu, essa sou eu. Como eu nunca tinha me visto antes?
MOSAICO_015
Para saber um pouco mais sobre o projeto Mosaico Nu, acesse:  https://giovannaromarophotography.wordpress.com/2015/03/09/mosaico-nu/

 

Saiba mais sobre a autora: Giovanna, ou Picles, é fotógrafa e produtora cultural, formada em Letras e pós graduada em Cinema e Fotografia. Acredita que a mudança só se efetiva através de (…) 

Seja o primeiro a comentar