Vamos falar de amor

O “O Boticário” fez uma campanha linda para o Dia dos Namorados deste ano. Uma campanha que nos mostra todas as formas de amor.

Só seria ainda mais lindo se o número de “dislikes” no vídeo publicado no youtube não fosse muito maior do que de “likes” . É triste notar que pessoas ainda resistem a aceitar coisas que não deveriam incomodá-las, seja por serem positivas (amor, carinho, afeto); seja por serem coisas que não as afetam diretamente (ou não deveriam afetar).

Alguém comentou no twitter que “A gente fica preso na nossa bolha e quando um vídeo tipo o da campanha do Boticário tem quase 30 mil dislikes é um tapa de realidade”. Eu sempre penso nessa bolha em que vivo, onde as pessoas aceitam umas às outras. Eu sou muito grata aos amigos que eu tenho.

Porém, também por viver nessa bolha, eu tenho essa tendência a ser bastante otimista, e pensei que o que pode ter acontecido é simples: as pessoas rancorosas estão na internet destilando seu rancor (que a cada dia tem menos espaço no mundo), enquanto as pessoas de mente livre e coração grande estão por aí vivendo o que há de bom.

O vídeo é este aqui:

 

Dizem eles que nasci em 1985, antes da hora. Cresci em sítio, sempre vivendo no interior, e minha vida é assim: em pequenas dimensões. Gosto de conhecer tudo de perto. Jornalista desde 2009, quando conclui a graduação (apesar de até hoje não ter ido buscar o diploma), escrevo por profissão e por não saber fazer outra coisa. Além de bambolê e drama.

Seja o primeiro a comentar