N’oubliez pas

N'oubliez pas

A tarde a brisa passou por cima de mim. Levou o peso e trouxe carinho. “Eu vim aqui em busca do sol”, e tenho a sensação que tive, por esses dias, toda energia dele na minha essência. Aqui é frio, mas o coração quente.
“- Se eu fosse em um vidente dois anos atrás e ele falasse que hoje eu ia passar meu aniversário no Colorado, dentro de um Trailer no Walmart chapadasso com uns amigos, eu nunca ia acreditar…”

Eu quero ficar nesse infinito pra sempre! Soa como: Vamos durar esses segundos mais do que nas fotos? Vamos seguir por esses caminhos que a vida embaraça e não deixar mais soltar? Você teria coragem de largar tudo? Certeza? Cadê a graça se a gente tivesse uma resposta pra tudo isso?

(…) Vamos durar esses segundos mais do que nas fotos? Vamos seguir por esses caminhos que a vida embaraça e não deixar mais soltar? (…)

Preciso me inundar nessa sensação, eu não quero esquecer como é fazer parte da pedra quando a gente respira junto. A gente precisa tão mais dessa sensação de que tudo é possível, de que a gente é possível… Essa delícia de ouvir – Wish you were here (por acaso?) nessa cama do fundo do trailer, nesse fim de tarde inacreditavelmente lindo, no meio de uma das melhores viagens da minha vida, no exato momento em que eu comecei a pensar em você. Eu sabia que você conseguiria respirar de baixo d’água.

Don’t be stupid like me.

Aqui é íngreme e eu já sei porque. A energia que vem de cima precisa de força pra descer e inundar o maior espaço possível. Mas quando você sobe a montanha recebe a graça de respirar esse oxigênio difícil, que vem com gosto de felicidade plena e complica até a respiração, mas ainda assim conseguimos nos acostumar.

A coisa boa veio da montanha, atravessou o cansaço em cheio e nos floresceu em dose dupla de sorrisos, naquela noite em que os verbos precisaram ser repetidos pra ter certeza de que realmente tinham saído da boca.

Não se deixe esquecer dos sonhos. Não deixe esquecer do centro, da palavra, daquele céu, da coragem, do carinho, do amanhecer. Lembra de tudo pra sempre no coração e corre atrás desse sentimento. Leva isso contigo, porque vai ajudar a saber o que fazer quando a vontade de voltar pra casa bater lá no fundo, como agora, como essa saudade do meu povo que deu nesse lindo fim de viagem com chuva, correria e a eterna vontade de ficar. Me lembra, que eu te ensino como se faz pra navegar.

 

Saiba mais sobre a autora: Fabíola Bueno estuda Jornalismo, é pisciana orgulhosa e naturalmente independente. Mineira aguda no modo de falar e tratar, apaixonada pela cidade maravilhosa e sua liberdade (…)

Seja o primeiro a comentar